Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pensamento Livre









O que significa pensamento livre pra você? 
Bem... pra mim, pensamento livre é poder falar de tudo o que me encanta, o que me fascina e o que me incomoda de uma maneira só minha. Ter liberdade para fazer um monólogo e me ouvir de uma maneira verdadeira, admitir e reconhecer que não sou perfeito mas que também não sou tão desconsertante assim. 
Sorrir, chorar, ficar mau humorado ou ser precipitado algumas vezes. Ser idiota em alguns momentos e me gabar dos defeitos que possuo... no auge do meu narcisismo, meus defeitos tornam-se as minhas maiores qualidades, meus pilares de sustentação. 
Eu preciso desses momentos para extravasar a intensidade que mora em meu ser. As palavras parecem misturar-se em um movimento aleatório na minha cabeça, é por isso que a música é como se fosse uma droga que desacelera esse movimento de confusão. Parece que funciona como se fosse um equalizador de emoções... equalizando sentimentos, tentando transformar tudo isso em algo concreto.
É triste saber que meras palavras nunca darão conta da coisa em si, pois sei que o que eu busco... nunca mais poderei ter de volta. Nenhum sentimento se repete com a mesma intensidade que da primeira vez. Mas como saberei distinguir o que eu quero nesse momento? Lembrar do que já passou e tentar projetar o futuro parece-me ser uma coisa complexa de mais neste momento. Pelo visto muitas coisas que não foram resolvidas estão vindo à tona. Como velhos fantasmas que vem te assombrar, então você pensa: ah esse eu já conheço, já me acostumei com ele. Mas quando se dá conta este fantasma está sempre pronto pra te atormentar nos momentos mais cruciais da vida. 
Pensamento live?? É acho que acabei de ter este momento...




"Nenhum sentimento se repete com a mesma intensidade que da primeira vez." - Vampire Gothic

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Feeling Good




Às vezes penso que a maioria das letras dessa banda descrevem exatamente o que estou passando em vários momentos de minha vida.
Eu me sinto bem... quando será que me sinto bem? Acho que agora é um desses momentos, esses momentos de angustia e prazer por sentir muitas coisas ao mesmo tempo... e no fim acabo dizendo que me sinto bem. 
Mas também com uma melodia tão bela como esta, como eu não iria me sentir bem? Sentir-me tenso e ao mesmo tempo leve como uma pena levada pela brisa que toma direções diferentes conforme cada acorde, cada batida, cada nota. Perece ser a representação mais bela da confusão de uma alma desnorteada que já não procura um destino final. Uma pena que quer apenas continuar sendo levada com a violência de uma ventania... a leveza de uma brisa ou um turbilhão de sensações.
Não posso deixar de vivenciar a beleza deste momento mágico de minha subjetividade... apreciando e me deliciando com essas sensações inebriantes.
Palavras sem nexo ou sentido para alguns... palavras que apenas quem se permite pode compreender tal riqueza de significados elas possuem.
No fim de tudo eu me sinto bem...


"Permitir-se tem um preço, e às vezes ele é tão alto que muitas pessoas preferem optar por não viver. Mal sabem elas que preço maior elas já estão pagando." - Vampire Gothic

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Plug In Baby



Mais uma que não me sai da cabeça, acho que agora passarei o resto da semana com ela na cabeça, tudo isso por causa de uma suposta paixão que pode ter seu destino traçado a partir do meio desta semana. Desta maneira saberei se era apenas uma boneca inflável ou algo a mais... mas acho não deve ter a ver com o que aconteceu recentemente e sim com o que eu gostaria que acontecesse, pelo visto aquelas ilusões perdidas estão voltando de maneiras diferentes, com uma intensidade ainda maior, como se estivessem acumulando seu poder durante este tempo em que passei adormecido subjetivamente. 
Como um vampiro que caiu em seu sono de torpor, mas ao mesmo tempo sempre soube de tudo que acontecia no mundo exterior, eu acordo com essa vontade, com essa sede. Acho essa deve ser a sede insaciável, sede de vida, sede de Vitae... e o extasie de saborear os prazeres da vida dessa maneira é incomparável. Essa explosão de sentimentos que entorpecem e inebriam a mente e de repente, você ouve sua respiração... sente seu coração bater... e descobre que está pronto para amar novamente. Com toda a intensidade do mundo...

  "E de repente encontrei-me nesta sala que à muito, ninguém entrava e poucos conheciam... me desculpe mas a chave desta sala estava em poder de alguém muito malvado, que atende pelo nome de Outro."  - Vampire Gothic

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Uprising (Rebelião)









Ultimamente tenho ouvido bastante esta música, e fiquei pensando... qual o motivo de tanto prazer ao ouvi-la? O que está significando esta música para mim neste momento? Acho que são respostas que eu poderei responder a mim mesmo somente no decorrer deste texto. 

Pode ter a ver com a letra, com a performance da banda ou até mesmo com esta revolta generalizada dos universitário com essa greve, as vezes eu me sinto assim também... um tanto controlado e manipulado. Muita gente fala e critica muitas coisas e no fim quando você vai ver, a pessoa está fazendo uma crítica e um protesto contra os problemas que ela não consegue resolver, tem mais a ver com si mesmo do que com os outros. 


"Rise up and take the power back
It's time the fat cats had a heart attack
They know that their time's coming to an end
We have to unify and watch our flag ascend"



Pode parecer uma mensagem política mas isso soa de uma maneira diferente para mim. Acho que é uma tentativa de levantar e tomar as rédeas da minha vida novamente sem me preocupar com o que os outros vão achar. Permitir-mais, viver mais e ser mais eu, com isso aquela sensibilidade para a música, para a  arte e para outros prazeres parece que voltou de  uma maneira avassaladora. Veio de tal maneira que decidi voltar a escrever meus poemas e minha idéias, mostrar quem realmente eu sou sem ter medo, como antigamente... acho que  está na hora dessa rebelião subjetiva, de se libertar dessa repressão e voltar a viver minhas paixões e meus prazeres.

Se tiver que ser intenso, que seja... eu só quero voltar a sentir-me vivo novamente e pelo visto estou no caminho certo. As coisas vão ser diferentes e ao mesmo tempo muito semelhantes ao que eu era antes de tudo isso... antes de Rondonópolis, cidade que eu estou aprendendo a suportar e agora comecei a vivenciar os prazeres antigos...

Ah sim, se a música não tivesse uma ótima melodia e integrantes tão bons não sei se causaria o mesmo impacto em mim. Acho que dessa vez a "Palavra" deu conta de boa parte da "Coisa".
Quem sabe amanhã de manhã eu consiga parar de ouvir ela a música e tomar novas atitudes, a rebelião subjetiva começou...

"Todas as possibilidades de mudança estão por aí, mas agora eu lhe pergunto... você está preparado para travar uma guerra contra si mesmo?"  - Vampire Gothic










sábado, 3 de setembro de 2011

Reflexão








Esses dias estava olhando no meu PC, fazendo uma limpeza nos arquivos e programas que não uso mais, acabei revendo algumas fotos que estavam em pastas esquecidas por aqui.
De repente me parece que fiz uma viagem no tempo quando as vi, parece que abri um baú de sentimentos que estavam a muito tempo esquecidos juntamente com lembranças músicas e momentos. Isso me fez repensar o quanto mudei quando cheguei em Rondonópolis, foi uma mudança tão brusca e ao mesmo tempo suave, que ocorreu de uma forma quase que imperceptível para mim.
Passaram-se quatro anos desde que vim morar aqui e só agora consegui perceber o como essa minha identidade foi construída. Então eu me pergunto; será que essa mudança foi tão boa assim pra mim, será que estou satisfeito e feliz com o que estou vivendo e passando, ou o que fiz foi apenas me acomodar e aceitar a imposição das outras pessoas?
As vezes penso que desisti de ser eu mesmo, só que as vezes penso também que achei outras estratégias de vida para poder me sobressair. Acho que conquistei muita coisa durante esse tempo, percebi que tinha muito a perder.
O medo só existe quando se tem algo a perder, mas também não posso deixar que esse medo me consuma e mude a minha vida. Voltar a viver como antes? Quem sabe, talvez... Só sei que a mesma história nunca se repete, mas sinto que posso fazer bem melhor do que isso.
Preciso me sentir vivo novamente, quero voltar a ouvir minha música favorita e ter sensações maravilhosas sem me importar com nada, sorrir quando der vontade de sorrir, não ligar para o que os outros dizem ou pensam, arrumar alguma discussão com alguém pelo simples prazer de debater sobre algo que eu acredito, criticar e convencer que meu ponto de vista é o certo... Que saudades desse tempo...
Pelo menos esse já é o primeiro passo, estou voltando a escrever, não como antes mas aos poucos estou voltando, preciso buscar o equilíbrio do meu ser novamente, voltar a me conhecer por completo e ser um mistério para os outros.
Essa foto me lembrou de uma coisa que eu sempre quis fazer só que por falta de tempo, oportunidade e até mesmo por não sei o que. Sempre quis aprender a tocar violino, e sabe do que mais? O tempo está passando e eu não estou vivendo tudo o que quero viver, tudo o que posso viver.
Não quero olhar pra trás e me arrepender do que não fiz, aliás, é o que já está acontecendo. Se conseguir voltar para minha música, volto também para os meus poemas. Se voltar para meus poemas, volto para meus prazeres e consigo recuperar minha vida.
É claro que com um conteúdo a mais dessa nova vida em Rondonópolis, tenho que manter a harmonia do meu ser seguindo o tempo da vida, da mesma maneira que um violino segue o tempo e as notas de uma orquestra ou de um simples piano...



"Quando o ser humano se inebria de seu próprio ser, pode ter certeza que ele está perdido dentro de si mesmo" (Vampire Gothic)

domingo, 19 de junho de 2011

De volta a ativa




São nesses momentos de incerteza e insegurança que volto a escrever, já havia até mesmo esquecido deste blog.
Tudo bem na verdade estava com um pouco de preguiça e sem tempo para entrar, porque sabia que com certeza eu esquecera do loguin e da senha, mas por sorte é a mesma senha do g-mail.
Na falta do que falar e vontade de escrever decidi voltar e pegar um pouco mais de intimidade com isso, afinal todos meus manuscritos do futuro livro que ainda se encontra em produção estão parados. As vezes por falta de inspiração, só que na maioria das vezes é a falta de tempo mesmo, 3° ano de psicologia não me deixa viver mais, vida social zero.
Mesmo sem tempo para mim mesmo, a cada dia que passa me apaixono ainda mais pelo curso e a futura profissão. Ainda estou esperando aquele momento de me impressionar comigo mesmo sabe, acho que estou cobrando muito de mim mesmo, mas pra mim só funciono desse jeito, se não for na pressão as coisas não vão pra frente.
Um lugar para expor as fraturas do meu sujeito, que nessa ultima semana se encontra um pouco debilitado, por causa de algumas pessoas que me "amam", finalmente estão conseguindo atingir meu ponto fraco.
Pra ser sincero não me importo com o que falam ou inventam de mim, mas só a opinião de uma pessoa faz com que eu me sinta mal. Infelizmente inventaram mentiras a meu respeito para essa pessoa. Nunca precisei provar nada pra ninguém, sempre tive isso na minha cabeça dura, mas agora é diferente. Vou descobrir quem anda inventado coisas de mim em PVH.
Problema esse que só poderei resolver no fim do ano, por enquanto vou guardando um pouquinho de ódio no coração, enquanto estiver em Rondonópolis não posso perder o foco dos estudos.
Tenho apenas dois anos e meio para aprender o máximo que puder sobre a psicologia, então, mãos à obra.
Uma coisa boa dessa semana, fiquei sabendo que o trabalho que fiz no estágio básico lá na APAE foi muito bem visto pelos professores e pela psicóloga de lá.
É sempre bom ser elogiado ainda mais quando eu achei que não fiz grande coisa lá, devido minhas limitações como futuro profissional ajudei como pude.
Espero que no Lar do Ancião eu me saia melhor ainda, estou pensando em ir pro araial da APAE, estou com saudade das crianças. Por falar nisso nem coloquei a cara pra fora de casa esse fim de semana, mesmo com as coisas um pouco tensas aqui.
Melhor parar por aqui por que senão vou acabar escrevendo de mais. Legal terminar com um pensamento que sintetiza o que estou sentindo agora.

"Há sempre uma pessoa na sua vida, a qual, não importa o que ela faça com você, você apenas não pode deixá-la ir."

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Primeira postagem


Finalmente arrumei tempo e paciência para fazer este blog. Aqui irei postar algumas coisas relacionadas a literatura e psicanálise para poder desenvolver um pouco mais as idéias que estou sedenvolvendo em meus estudos sobre as obras de Honerè de Balzac, famoso escritor literário do século XIX.
Digamos que este blog será como um esboço das pesquisas que estão em andamento, fazendo essa interação entre literatura, história e Psicologia. Mas também postarei aqui as minhas "ilusões perdidas", semtimentos que se perderam com o passar do tempo e que de vez em quando me vem a tona, momentos de inspiração e alguns fragmentos do livro que pretendo escrever em breve.
Um lugar para desabafar e criticar as coisas de que gosto e as coisas que odeio. Algumas coisas sobre F1, esporte que eu gosto muito e algumas coisas bobas sem muita importância. Bem espero que consiga desenvolver bem meus manuscritos aqui.
Até Breve...